Parceria entre Educação e Saúde Mental do Escolar

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Acompanhamento da criança com Síndrome de Down

Título: Série F - Comunicação e Educação em Saúde
Fonte: Biblioteca Virtual em Saúde - Ministério da Saúde



      As crianças com Síndrome de Down geralmente apresentam várias comorbidades, como malformações cardíacas, alterações visuais e auditivas, anormalidades gastrointestinais, apnéia obstrutiva do sono, otites, infecções respiratórias, distúrbios da tireoide, obesidade, luxação atlanto-axial, entre outras, que precisam de diagnóstico e tratamento precoces. Se as condições clínicas permitirem, essas crianças devem ser encaminhadas para estimulação precoce já nos primeiros dias, mesmo antes do resultado do cariótipo. Para o acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento, existem curvas e tabelas específicas.





2 comentários:

  1. Olá,
    Estou postando este comentário como um pedido de AJUDA, pois tenho uma filha de 24 anos com síndrome de down, adolescente,e faz tratamento para tireóide, tem hipotireiodismo.Tá meio gordinha, já fez outros exames e está tudo bem, mas é muito compulsiva, e já não sei mais o que fazer .Faz tratamento com florais, é uma fortaleza,mas estou DESESPERADA pois ela muda muito rápido de humor, sei que é típico da adolescencia mas preciso de mais uma informação.Meu telefone é (016)3234-7236 (016)9117-2820,meu email tamtm86@hotmail.com.Obrigada Tânia Aparecida Martins.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Tânia.

    Qualquer indivíduo que apresente comportamento(s) que atrapalhe(m) o seu dia-a-dia e traga(m) sofrimento deve ser avaliado por profissionais especializados em saúde mental. A função do psiquiatra não se resume a medicar - a maioria das crianças e adolescentes nem precisam de medicação, por exemplo - entretanto, como sua filha está em uso de florais, sugiro que sua filha seja avaliada por psiquiatra que tenha experiência com S. de Down (se possível).

    ResponderExcluir