sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Coprofagia e outros tipos de Pica

Preparo de terra para ingestão - Mongólia


Título: Eating Disorder, Pica
Autores: Cynthia R Ellis (MD, Director of Developmental Medicine, Associate Professor, Department of Pediatrics and Psychiatry, Munroe Meyer Institute for Genetics and Rehabilitation, University of Nebraska Medical Center)
               Connie J Schnoes (MA, PhD, Psychologist, Director of Training, Supervising Practitioner, Father Flanagan's Boys' Home, Boys Town)
Fonte: eMedicine (updated: Jun 4, 2009)

Antecedentes

-Definição→ Pica é um transtorno alimentar geralmente definido como a ingestão persistente de substâncias não nutritivas por um período de pelo menos um mês, em uma idade em que esse comportamento é evolutivamente inadequado (por exemplo, maiores de 18-24 meses).
-Exemplos→ Barro, sujeira, areia, pedras, seixos, cabelos, fezes, amido de milho, chumbo, luvas de vinil, plásticos, borrachas, lápis, gelo, unhas, fichas de papel, tinta, carvão, giz, madeira, gesso, lâmpadas, agulhas, linha, pontas de cigarro, fio e fósforos queimados.
-Em crianças com idade entre 18 meses e 2 anos, a ingestão e contato com a boca de substâncias não nutritivas são comuns e não são considerados patológicos.
-Tal problema é considerado quando o comportamento é inadequado para o nível de desenvolvimento do indivíduo, não faz parte de uma prática cultural e não ocorre exclusivamente durante o curso de outro transtorno mental (por exemplo, esquizofrenia).
-Se pica está associada com retardo mental ou transtornos invasivos do desenvolvimento, deve ser suficientemente grave para merecer atenção clínica independente. Nesses pacientes, a pica é normalmente considerada como um diagnóstico secundário. Além disso, o pica deve durar por um período de pelo menos um mês.

Fisiopatologia

-Pica predispõe à ingestão acidental de substâncias tóxicas, principalmente envenenamento por chumbo. -Outros efeitos tóxicos: hipercalemia secundária à cautopirofagia (ingestão de cabeças de fósforo queimados).
-Exposição a agentes infecciosos→ Geofagia (ingestão de terra, areia ou argila): infecções parasitárias, como toxoplasmose, toxocaríase e tricuríase.
-Complicações gastrointestinais→ Problemas na mecânica intestinal, constipação, úlceras, perfurações e obstruções intestinais.

Frequência

-Pica ocorre em todo o mundo.
-Geofagia é a forma mais comum em pessoas que vivem na pobreza, nos trópicos e nas sociedades tribais.
-Prática generalizada no oeste do Quênia, África do Sul e Índia; tem sido relatada na Austrália, Canadá, Israel, Irã, Uganda, País de Gales, Turquia e Jamaica. Em alguns países (Uganda, por exemplo), o solo está disponível para compra com o intuito de ingestão.

Mortalidade / morbidade

-O chumbo tem efeitos neurológicos, hematológicos, endócrinos, cardiovasculares e renais.
-Encefalopatia por chumbo é uma complicação potencialmente fatal de intoxicação; apresenta cefaleia, vômitos, convulsões, coma e parada respiratória.
-A ingestão de doses elevadas de chumbo pode causar deficiência intelectual significativa, além de problemas comportamentais e do aprendizado.
-A anemia microcítica hipocrômica, semelhante à anemia por deficiência de ferro, também pode ser vista como toxicidade do chumbo, cujas concentrações são de aproximadamente 25 mg/dL.
-Efeitos no trato gastrointestinal→ Variam entre leves (por exemplo, prisão de ventre) a graves (por exemplo, hemorragias secundárias a perfurações ou ulcerações).
-Sequelas no trato gastrointestinal podem incluir problemas intestinais mecânicos, constipação, úlceras, perfurações e obstruções intestinais causadas por formação de bezoar, além da presença de materiais não digeridos no trato intestinal.
Efeitos dentários→ Desgaste dental grave, abrasão e perda da superfície do dente.

Raça

-Não há dados específicos quanto à predileção racial de pica.
-Tal prática é mais comum em populações específicas. Por exemplo, a geofagia é aceita culturalmente em algumas famílias de linhagem africana e é problemática em 70% das províncias da Turquia.

Sexo

-Pica ocorre em número igual de meninos e meninas; no entanto, é rara em homens adolescentes e adultos de inteligência média que vivem em países desenvolvidos.

Idade

-O transtorno é observado mais comumente durante o segundo e terceiro anos de vida, sendo considerado inadequado nas crianças com idade superior a 18-24 meses.
-Pica ocorre em 25-33% das crianças e 20% das crianças atendidas nos serviços de saúde mental.
-Ocorre redução linear com o aumento da idade. Ocasionalmente se estende até a adolescência, mas, raramente é observada em adultos que não são deficientes mentais.
-Bebês e crianças comumente ingerem tinta, gesso, corda, cabelo e roupas. As crianças mais velhas tendem a ingerir excrementos de animais, areia, insetos, folhas, pedras e pontas de cigarro.
-Adolescentes e adultos ingem argila ou terra com mais frequência.
-Em mulheres jovens que estão grávidas, o início ocorre frequentemente durante sua primeira gravidez (final da adolescência ou início da idade adulta). Embora costume ceder no final da gravidez, pode continuar intermitentemente durante anos.
-Em indivíduos com retardo mental, pica ocorre mais frequentemente em pessoas com idade de 10-20 anos.

Clínica

-A maioria das crianças com intoxicação por chumbo são assintomáticas. As manifestações físicas de envenenamento por chumbo podem incluir sintomas neurológicas (por exemplo, irritabilidade, letargia, ataxia, incoordenação motora, dores de cabeça, paralisia de nervos cranianos, papiledema, encefalopatia, convulsões, coma, morte) e do trato gastrointestinal (por exemplo, constipação, dor abdominal, cólicas, vômitos , anorexia, diarréia).
-Infecções e infestações parasitárias→ Toxocaríase (larva migrans visceral, larva migrans ocular) e ascaridíase são as mais comuns. Os achados físicos associados à larva migrans visceral são: febre, hepatomegalia, mal-estar, tosse, miocardite e encefalite. Larva migrans ocular pode resultar em lesões da retina e perda da visão.

Causas

-Etiologia desconhecida.
-Hipóteses:
          a)Deficiências nutricionais→ Deficiência de ferro, cálcio, zinco e outros nutrientes (por exemplo, tiamina, niacina, vitaminas C e D). Em alguns pacientes com desnutrição que comem barro, deficiências de ferro têm sido diagnosticadas, mas, a direção dessa associação causal não é clara. Se a deficiência de ferro levou a comer barro ou se a inibição da absorção de ferro (causada pela ingestão de argila) produziu a deficiência de ferro ainda é desconhecida.
          b)Fatores culturais e familiares→ Em particular, a ingestão de argila / terra / areia e amido de milho pode ter base cultural e ser aceitável por vários grupos sociais. Ingestão de argila e amido de milho ocorrem em algumas comunidades rurais do sul dos Estados Unidos e em comunidades afro-americanas, principalmente entre mulheres e crianças. Mulheres grávidas (principalmente no início da gravidez) e puérperas, particularmente, comem amido de milho. Pais podem ensinar seus filhos a comer essas e outras substâncias. O comportamento também pode ser aprendido através de modelagem e de reforço.
          c)Estresse→ Privação materna, separação dos pais, negligência parental, abuso infantil e quantidades insuficientes de interações entre pais / criança têm sido associadas à pica.
           d)Baixo nível socioeconômico→ A ingestão de tinta é mais comum em crianças de famílias de baixo nível socioeconômico e está associada à falta de supervisão parental.
           e)Desnutrição e fome.
          f)Comportamentos orais indiscriminados→ Em indivíduos com retardo mental, transtornos da alimentação têm sido sugeridos como decorrentes de uma incapacidade de discriminar entre os itens alimentares e não alimentares.
          g)Comportamento aprendido→ Em indivíduos com retardo mental e deficiências de desenvolvimento, em particular, a visão tradicional é a que a ocorrência de pica é um comportamento aprendido mantido pelas consequências desse comportamento.
          h)Transtorno bioquímico subjacente→ A associação de pica, deficiência de ferro e estados fisiopatológicos com diminuição da atividade do sistema dopaminérgico tem levantado a possibilidade de correlação entre a neurotransmissão dopaminérgica e a diminuição da expressão e manutenção de pica. Entretanto, a patogênese específica resultante de qualquer distúrbio bioquímico subjacente não foi identificada empiricamente.
           i)Psicopatologia parental / infantil.
           j)Desorganização familiar.
           k)Privação ambiental.
           l)Gravidez.
           m)Epilepsia.
           n)Lesão cerebral.
           o)Retardo mental.
           c)Transtornos invasivos do desenvolvimento.

Investigação

Exames laboratoriais

-Não há exames específicos para a avaliação de pica. No entanto, alguns podem ser indicados para avaliar as consequências do transtorno:
          a)A dosagem das concentrações de chumbo no sangue de todas as crianças com idades entre 1-2 anos é recomendada em locais onde pelo menos 27% das casas foram construídas antes de 1950. O exame também é recomendado em locais onde a prevalência de níveis sanguíneos elevados em crianças de 1-2 anos seja de pelo menos 12%.
Exames de imagem

-Vários estudos de imagem podem ser utilizados para identificar materiais ingeridos e para auxiliar no manejo das complicações do trato gastrointestinal. Esses podem incluir:
•Radiografia abdominal
•Exames dos tratos gastrointestinais superior e inferior com bário
•Imagem repetidas em intervalos regulares para acompanhar as mudanças na localização de materiais ingeridos
•Endoscopia digestiva alta para o diagnóstico de bezoar, para identificar lesões associadas, ou ambas

Tratamento

Assistência Médica

-Embora a pica em crianças, muitas vezes, remita espontaneamente, uma abordagem multidisciplinar (psicólogos, assistentes sociais, médicos) e é recomendada para o tratamento eficaz.
-Nenhum tratamento médico é específico no tratamento de pacientes com pica.

Consultas

-Psiquiatra/psicólogo
•A análise cuidadosa do comportamento de pica é fundamental para tratamento eficaz.
•Atualmente, as estratégias comportamentais têm sido mais eficazes no tratamento de pica; dentre elas, a manipulação antecedente; treino de discriminação entre itens comestíveis e não comestíveis; dispositivos de auto-proteção proíbam a colocação de objetos na boca; reforço sensorial; reforço diferencial de outros comportamentos/incompatíveis, tais como seleção (fechando os olhos brevemente), sabor aversivo oral (limão), sensação de cheiro aversivo (amônia), sensação aversivo físico (vapor de água) e contenção física breve/hipercorreção (corrigir o ambiente/prática de respostas alternativas apropriadas).

-Assistente social
•Em lactentes e crianças jovens, o comportamento de pica pode fornecer estimulação ambiental ou sensorial. A assistência na resolução dessas questões pode ser benéfica, juntamente com o manejo de problemas econômicos e/ou privação e isolamento sociais.
•A avaliação das crenças e tradições culturais pode revelar a necessidade de informação sobre os efeitos negativos da pica.
•A remoção de substâncias tóxicas do ambiente, principalmente a pintura à base de chumbo, é importante.

-Dentista
•A atenção à saúde bucal é importante no manejo da pica para prevenir/tratar os efeitos prejudiciais sobre os dentes em tenra idade.

-Dieta
•A avaliação nutricional das crenças pode ser relevante no tratamento de alguns pacientes com pica.
•Detecção de qualquer deficiência nutricional. No entanto, estratégias nutricionais e dietéticas têm demonstrado sucesso em um número muito limitado de pacientes.

-Medicação
•Poucos estudos têm sido realizados com tratamentos farmacológicos para a pica, no entanto, a hipótese da diminuição da neurotransmissão dopaminérgica sugere que as drogas que melhoram o funcionamento dopaminérgico podem fornecer alternativas de tratamento em indivíduos com pica refratária à intervenção comportamental.
•Um único relato de caso concluiu que um antipsicótico com proeminentes efeitos dopaminérgicos, serotoninérgicos, adrenérgicos e colinérgicos reduziu tal comportamento.
•Os medicamentos utilizados no tratamento de problemas graves do comportamento podem ter um impacto positivo na pica com comorbidade.

Follow-up

-O tratamento é conduzido principalmente em ambulatório, em consultas com equipe multidisciplinar.

-Prognóstico
•Pica frequentemente remite espontaneamente em crianças e mulheres grávidas; no entanto, pode persistir por anos se não for tratada, especialmente em indivíduos com retardo mental e transtornos invasivos do desenvolvimento.

-Educação dos Pacientes
•Educar os pacientes sobre hábitos saudáveis de alimentação.

Miscelânea 

-Armadilhas Médico-Legais
•Falha em reconhecer os sinais e sintomas de pica; falta de informação aos pacientes sobre os perigos de ingerir substâncias não nutritivas.
•Em algumas áreas, a redução dos riscos do chumbo é uma obrigação legal dos proprietários de casas com pintura à base de chumbo.

82 comentários:

  1. Obrigada pelo e-mail. Sua postagem é muito esclarecedora, por que o senso comum é de que a ingestão de substâncias não-alimentares por crianças é prática normal, que deve ser tolerada e que é temporário, mas nem sempre é assim.

    ResponderExcluir
  2. Olá, gostei muito do blog! Sou estudante do sexto ano de medicina e pretendo fazer psiquiatria infantil! Deixo o meu blog:
    belasartesmedicas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Raquel.

    Obrigado por ter gostado do blog. Qualquer dúvida sobre os desafios em seguir a carreira de psiquiatra da infância e adolescência, caso eu possa esclarecer, o farei.

    ResponderExcluir
  4. oi, sou a Jane uma tia preocupada, meu sobrinho tem 10 anos, venho notando q ele tem uma atração muito forte por fezes, sei q quando vai ao banheiro ele manuseia as proprias fezes não sei se chega a ingerir, mais quando sai do banho o cheiro é insuportavel. gostaria de saber mais sobre coprofagia, já q ele tem antecedente de arrancar e comer cabelo. o aprendizado dele é bem fraco. por favor me ajude.
    obrigada.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Jane.

    O texto acima trata da questão da coprofagia (ingestão de fezes) e da tricofagia (ingestão de fios de cabelo). Sugiro que você oriente os pais do seu sobrinho a procurar atendimento pediátrico urgente; provavelmente, este profissional encaminhará o garoto para avaliação multidisciplinar (psiquiatra da infância e adolescência / psicóloga / assistente social / dentista).

    ResponderExcluir
  6. Olá Bruno!
    Seu blog é esclarecedor, denotando o quanto você é um profissional competente. Sou pedagoga, psicopedagoga e atuo com crianças com Deficiência Intelectual. Tenho um aluno com Síndrome de Down que ingere tudo o que vê pela frente. Suas sugestões serão de grande valia. Abraços,
    Flávia Ramos

    ResponderExcluir
  7. Obrigado por apreciar o blog, Flávia.

    ResponderExcluir
  8. Meu filho desde 8 anos come borracha não sei mais o que fazer, e le come qualquer tipo de borracha, principalmente de brinquedo, hoje ele vai fazer 10 anos,creio que vou precisar de um psicólogo ou psiquiatra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu como borracha de apagar lápis. Não consigo parar. Minha boca enche de água... :( não sei o que fazer

      Excluir
    2. Olá, Ane.

      Favor ler postagem sobre pessoas que ingerem materiais não nutritivos (Transtorno de Pica); o link é o seguinte:

      http://www.psiquiatriaepediatria.com/2016/10/transtorno-de-pica-publicacao-em-revista.html

      Busque atendimento com médico psiquiatra. Boa sorte!

      Excluir
  9. Olá, Sueli.

    O acompanhamento de pacientes que ingerem substâncias que não são nutritivas, incluindo seu filho, deve ser individualizado. Como ponto de partida, sugiro que você marque consulta com o pediatra, psiquiatra da infância e da adolescência, além de psicóloga com formação em terapia cognitivo-comportamental.

    ResponderExcluir
  10. Dr.Bruno ,meu filhoe seu paciente na abads e gracas a vcs ele esta progredindo a cada dia...

    obrigado.

    neide
    mae de Pedro Henrique

    ResponderExcluir
  11. Olá Brunno, como vai?
    Parabéns pelo blog!!
    Sou profissional da saúde mental e estou tendo dificuldades para encontrar referências específicas sobre coprofagia, você poderia me passar alguma? Grata

    ResponderExcluir
  12. Tudo bem, obrigado.

    Como sugestões de referências bibliográficas sobre coprofagia, além da citada no texto do blog, são as seguintes:
    -Lewis Child and Adolescent Psychiatry(capítulo 5.7.1 - Eating and Growth Disorders in Infants and Children)
    -Pubmed: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed
    -Medscape: http://search.medscape.com/news-search?newSearch=1&queryText=pica

    Se quiser enviar e-mail para contato, fique à vontade.

    ResponderExcluir
  13. sou professora (psicopedagoga)... e gostei muito desse blog....fazendo referência a esse transtorno...

    ResponderExcluir
  14. Minha filha tem 9 anos ela come borrachha lapis papel caneta unha massa de modelar e varias outras coisas feita de plastico madeira come cabelo e pano desde os 2 anos de idade . isso e sindrome de pica? E o que eu devo fazer? Pos ja cansei de conversar e ela ccontinua..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente, trata-se da condição denominada "pica". Para esclarecer a condição, sugiro que você converse com o pediatra responsável acerca de encaminhamento para psiquiatra da infância e da adolescência.

      Excluir
  15. Olá Bruno!
    Amei seu blog, tenho um aluno que come todos os lápis e borracha que vê pela frente, inclusive sujeira do chão ele tem 9 anos e tem síndrome de down, agora fui pesquisar e descobri a síndrome de Pica, pretendo agora orientar a família, parabéns pelo seu trabalho.
    Um abraço Aparecida.

    ResponderExcluir
  16. Obrigado por ter prestigiado o blog, Aparecida.

    ResponderExcluir
  17. Olá, preciso de uma orientação em relação ao comportamento do meu sobrinho de 2 anos. Ele esta com "habito" de passar as mãos com fezes nas paredes e outros objetos e depois passar no rosto e por vezes comer. Começou com este comportamento acerca de 45 dias.É apenas uma faseou pode ser algo mais serio? Obrigada. Aguardo resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      O comportamento descrito não é normal, já que se trata de coprofagia. Caso ainda ocorra, sugiro avaliação, urgentemente, por psiquiatra da infância e da adolescência, para que o mesmo contextualize os antecedentes pessoais do garoto, além da dinâmica social.

      Lembro que o blog não tem a pretensão de substituir uma avaliação presencial com um profissional, mas, à distância, pareceu-me preocupante. Uma das justificativas poderia ser "chamar a atenção", mas, mesmo nessa circunstância, o recurso utilizado é exacerbado.

      Excluir
  18. Olá. Após uma gestação, adquiri uma compulsão por comer papel. Gostaria de saber se na tinta que imprime linhas do papel pode haver chumbo e se este pode ser transferido ao meu filho pela amamentação.

    ResponderExcluir
  19. Olá, Pryscilla. Obrigado pela sua postagem.

    Pesquisei sobre papeis; a literatura sobre a composição do tema é extensa. Não posso garantir a ti que não haja chumbo (ou qualquer outro componente prejudicial à saúde) na composição, visto que os materiais utilizados são muito variados.

    O risco indireto ao seu garoto seria o risco à saúde da mãe (no caso, à sua) por obstrução intestinal (seres humanos não digerem a celulose do papel). Procure imediatamente atendimento médico (em pronto-socorro); uma avaliação psiquiátrica para investigar melhor esse impulso (comum, mas, longe de ser normal) é mandatória.

    ResponderExcluir
  20. Olá, cuido de uma criança que nasceu de 5 meses. Hoje ele tem 6 anos de idade e tem deficiência mental, não fala. Ele faz cocô e come , suja tudo, passa nas paredes , enfim. .. Não sei o que fazer! Preciso de ajuda! Como faço pra ele parar?

    ResponderExcluir
  21. Olá, Ana Carolina.

    Sugiro que a criança seja levada pelos responsáveis ao psiquiatra da infância e da adolescência. Além da deficiência intelectual citada por você (há vários graus - leve / moderada / grave / profunda), há a possibilidade da existência de outras condições psíquicas associadas (autismo, por exemplo). Após o correto diagnóstico pelo profissional, as estratégias comportamentais para a diminuição dos comportamentos inadequados com fezes são realizadas por equipe interdisciplinar (psiquiatria / psicologia / terapia comportamental / fonoaudiologia / pediatria).

    ResponderExcluir
  22. oi, sou a rita uma mãe preocupada, minha filha tem 27 anos, venho notando q ela tem uma atração muito forte por fezes, sei q quando vai ao banheiro ela manuseia as proprias fezes chega a ingerir, mais quando sai eu procuro logo lavar suas mãos dedos ,escovar dentes e a lingua,dou banho a seguir. so q noto q a mesma fica muiiito nervosa e agitada por eu ter feito tudo isso com a mesma.é como se n tivece gostado deu ter tirado o mau udor dela. gostaria de saber mais sobre coprofagia, já q ela tem antecedente de se mutilar as vezes. o aprendizado dela ainda é bem fraco n sabe ler e escrever . por favor me ajude.
    obrigada.o meu ploblema em se mostrar é o preconceito,das pessoas as descriminações são muiiiitas .ritaloirajpa2008@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rita.

      Há a necessidade de avaliação da sua filha por um psiquiatra, visto que há questões do desenvolvimento que precisam ser esclarecidas: 1)qual o nível de inteligência? / 2)alta impulsividade (incluindo autoagressão e coprofagia) devido a sofrimento psíquico? / 3)há causa para o baixo desempenho acadêmico?

      Em relação ao preconceito, por causa do histórico de manicômios no século passado, há muita discriminação em relação às pessoas que estão em sofrimento psíquico. Por exemplo, a denominação de "médico de loucos" para o médico psiquiatra. A "loucura" é uma das manifestações psiquiátricas possíveis, mas, não é a única. Se não podemos culpar um indivíduo por ser míope e de necessitar do uso de lentes corretivas, qual a culpa de alguém ser esquizofrênico, por exemplo? Qualquer pessoa que sofra devido aos seus comportamentos e emoções deve ser respeitada e, se possível, acompanhada por profissionais de saúde mental (psiquiatria / psicologia).

      Excluir
  23. ola tenho uma sobrinha que morde chinelo(e qualquer borrocha) mas ela não come,ja fizemos de tudo mas ela não para.sera se ela tem síndrome de pica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se trata de síndrome de pica (vide postagem acima), já que não há ingestão de pedaços de borracha. Mas, é um comportamento inadequado que, dependendo da idade e do grau de desenvolvimento intelectual, deverá ser acompanhado por profissionais de saúde mental.

      Sugiro que os responsáveis marquem uma consulta com o pediatra para avaliar a situação, antes.

      Excluir
  24. Sou adulta e como borracha ate hoje!!! So uso caneta pra nao ficar tentada. kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Devido ao risco de intoxicação pela composição da borracha, além da contaminação aderida ao produto, sugiro que, em caso de dificuldade para cessar com o hábito, procure orientação especializada em saúde mental.

      Excluir
  25. Boa Noite, tenho 25 anos e tenho desde a minha infância uma compulsão de balançar um lápis na mão, principalmente para ler. Mas não é simplesmente balançar, existe um ritual. O lápis precisa ser preto e a ponta precisa ser pintada com corretivo liquido ou esmalte branco, pois preciso ver a movimentação da cor branca se mover.
    Já tentei ler sem esse ritual mas é impossível, eu sinto falta. Faço isso para ler, enquanto uso o computador, quando vou ao banheiro... eu preciso estar agitando um lápis para me sentir confortável. Tenho pelos menos 5 lápis prontos para isso e estão com as marcas dos dedos de tanto que uso.
    Me sinto extremamente constrangida de revelar esse comportamento que já tenho a pelo menos 20 anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia.

      Entendo o seu constrangimento, porém, você poderá entendê-lo de forma detalhada caso você busque esclarecimento com médico especialista em saúde mental: o psiquiatra. Seu ritual com o lápis lembra comportamento obsessivo-compulsivo, mas, isoladamente, não se configuraria em um transtorno psiquiátrico.

      Fique à disposição para responder a ti de forma privada; basta enviar mensagem com seu e-mail, solicitando que eu não a publique.

      Excluir
  26. Meu filho tem 12 anos hoje e desde os 2 aninhos ele comia os pés e mãos dos bonecos. Em uma determinada fase ele parou um pouco, mas voltou e come coisas principalmente de cor preta e parecidas com elástico, borracha, fita isolante, ... Isso me deixa muito preocupada pois ele é absolutamente normal tirando realmente a ansiedade de fazer tudo. Ele acorda segunda feira já ansioso para que chegue sábado para surfar por exemplo e passa a semana toda só falando a mesma coisa. Já houveram outras fases, ter um cachorro, um celular, um tablet, um Xbox, ... Algumas coisas ele ganhou mas outras não teve como. O mais estranho é que não vemos os momentos em que ele come as coisas, quando percebo já está tudo ruído. Tenho medo do intestino e estômago. Gostaria de uma orientação. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A "ansiedade de fazer tudo" pode ser apenas uma ansiedade normal, mas, poderá ser um "pedido de ajuda". Associada à incapacidade de controlar ingestão de substâncias não nutritivas (transtorno do impulsos?), para que você tenha certeza de que não há nada de alterado do ponto de vista psíquico, sugiro avaliação com o pediatra responsável. Converse com o colega acerca de esclarecimento da questão com o médico especialista na questão: o psiquiatra da infância e da adolescência.

      Excluir
  27. Olá Bom dia!!! Tenho 41 anos e comecei a comer gesso à mais ou menos 1 mês...como compulsivamente.. 4 ,5 ou mais vezes por dia... Minha vontade é tanta que comecei a tirar pedaços do teto deixando um enorme buraco.. Minha preocupação não seria tanta se não tivesse começado a evacuar com sangue... Isso faz mais ou menos 1 semana...estou desesperada pois não consigo deixar de comer o gesso e além do sangue nas fezes sinto dores abdominais, dor de cabeça e diarréia... Sofri alguns abusos no passado... Tive vários episódios de depressão que cessaram com o Nascimento do meu segundo filho que está com 1 ano e 7 meses ...e tenho uma filha de 20 anos! Me ajude por favor!!!!

    ResponderExcluir
  28. Olá.

    Dentre os componentes do gesso, há o sulfato de cálcio hemi-hidratado. Essa substância poderá causar danos ao seu trato gastrointestinal, e a presença de sangue nas fezes é um indício sério. Busque avaliação em pronto-socorro imediatamente para que você se sinta mais tranquila.

    Acerca das questões da sua história de vida, incluindo abuso na infância, depressão e ingestão de substância não-nutritiva (por pelo menos 1 mês), sugiro avaliação com médico psiquiatra.

    Boa sorte.

    ResponderExcluir
  29. Olá boa tarde!! gostaria de saber minha neta vai fazer 2 anos e está com a mania de fazer coco e passar a mão e por na boca é normal????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gabi.

      Esse comportamento é comum entre crianças, mas, merece observação. A partir dos 2 anos, não é normal, e merecerá avaliação especializada (psiquiatra da infância e da adolescência), visto que há várias possibilidades que justificam esse comportamento (vide postagem acima).

      Excluir
  30. ola.
    Eu tenho 14 anos e desde a alguns meses que como borracha.
    E tenho uma grande capacidade intelectual, mas nao consigo parar.
    Há algum produto químico na borracha que venha posteriormente prejudicar ou comprometer o meu organismo?
    Nervosismo e pressão podem ser os culpados deste nova compulsao?
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nathalia.

      Há vários tipos de borracha, com composições variadas. Porém, independentemente do tipo, há o risco de intoxicação, além da contaminação aderida ao produto.

      Nervosismo e pressão não justificam, isoladamente, sua compulsão. Sugiro que você converse com seus responsáveis legais acerca de avaliação por psiquiatra da infância e da adolescência, especialidade médica mais adequada para o seu caso.

      Excluir
  31. ola Bruno, tenho um bebe de 18 meses que fica comendo ciscos do chão, bolinhas de roupas e sofás, não SEi o que fazer. Estou muito preocupada, isso é tipico da idade ? Vai passar? Ele quase não esta se alimentando, acho que pela dentição, fica mais na mamadeira. Me ajude.

    ResponderExcluir
  32. Olá, Day.

    Além do comportamento não ser adequado para a idade, a alimentação à base de leite (mamadeira) não é saudável.

    Sugiro que você agende uma consulta com o pediatra da criança o quanto antes, além de programar consulta com médico psiquiatra da infância e da adolescência.

    ResponderExcluir
  33. Tenho 37 anos tive um bebe a 3 meses apos um rompimento brusco com minha filha mais velha de 16 anos começei a ingerir papelao gostaria de saber qual a conseguencia na amamentaçao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ingestão de papelão poderá obstruir alguma parte do seu trato intestinal. Creio que você deveria buscar atendimento psiquiátrico, urgentemente, para que se sejam compreendidas as razões pelas quais você apresenta esse hábito alimentar.

      Excluir
  34. OLA BRUNNO!
    MEU FILHO DE 14A COME GESSO DE PAREDE DESDE OS 5A,DEVO LEVA-LO AO PSIQUIATRA OU EXISTE UM PROFISSIONAL ESPECIFICO NESTE CASO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O profissional para avaliar a possibilidade de haver (ou não) transtorno psiquiátrico denominado "pica" é o psiquiatra; no caso do seu garoto, por ser menor de idade, o psiquiatra da infância e da adolescência é o mais recomendado.

      Excluir
  35. Boa tarde, meu nome é Santana tenho 38 anos e faz pelo menos 30 que como borrachas de apagar, sinto muito prazer em comer, como se comesse um doce, sempre que me alimento depois preciso de um pedaço, as vezes como uma inteira depois das refeiçoes, vou nesses atacadistas grandes e compro caixas fechadas, e tem que ser branca macia numero 20 ( aquela que tem o rostinho) Mercur. não entendo por que faço isso, era muito pequena quando começou, fico constrangida de dizer isso, meus relacionamentos todos descobriram com o tempo e sempre acham estranho. O que posso fazer, sinto vontade de parar, mas sinto vantade tambem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Santana.

      Busque o suporte de um psiquiatra para que seja descartado um transtorno psiquiátrico denominado "pica". Essa condição é desconhecida, mas, há várias hipóteses (vide postagem acima).

      Entendo seu constrangimento, mas, entendo que uma conversa com o especialista em saúde mental fará muito bem a ti, visto que a psicoeducação (conhecimento sobre quadros psiquiátricos) é a base do tratamento.

      Excluir
  36. Arrancar e comer a pele grossa dos pés. . é pica?? Comer pele dos dedos da mão, casquinha de machucado..

    ResponderExcluir
  37. O hábito recorrente de puxar a pele / crostas de feridas deve ser avaliado por um psiquiatra, com o intuito de descartar o "Transtorno de Escoriação (skin picking)"; comumente, há histórico pessoal ou familiar de Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) associado.

    Já o hábito de ingerir qualquer substância não nutritiva (como os exemplos citados por ti) pode significar a existência de um Transtorno Alimentar denominado "Pica", também associada, frequentemente, ao Transtorno Obsessivo-compulsivo e Transtornos Relacionados (Transtorno de Escoriação é um exemplo).

    Em suma, busque avaliação especializada para que você fique mais tranquila e possa buscar alternativas baseadas em evidências científicas.

    ResponderExcluir
  38. Minha filha de 2 anos e 4 meses comem fiapos se linha, arranca de meias fraldas de pano e miçangas pedrinhas, ela é muito magrinha e sofre de constipação me da uma luz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lucileide.

      Sua filha deverá ser avaliada por um psiquiatra da infância e da adolescência, visto que, após completar 2 anos, a ingestão de materiais não-nutritivos como os descritos em seu texto podem fazer parte de um transtorno alimentar denominado Pica.

      Favor ler a publicação sobre o tema, acima, para tentar encontrar outras características da condição. Busque a opinião do pediatra responsável pela sua garota, também.

      Boa sorte!

      Excluir
  39. Olá dr. meu filho tem 4 anos e a professora reclama q ele come papel, borracha, ponta de lápis. Já vi ele fazendo algumas veZes. Mas sempre longe de mim. Pois sabe q brigo com ele. Pode ser pica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser um transtorno alimentar denominado Pica, sim. Como seu filho já passou dos 2 anos e ingere substâncias não nutritivas, entendo que uma avaliação pediátrica, seguida de outra por um psiquiatra da infância e da adolescência, são providências a ser tomadas.

      Excluir
  40. Meu filho tem 4 anos e coloca tudo na boca. Nem sempre para comer. Muitas vezes só lambe, ou morde. A professora está reclamando q está comendo borracha, lápis e papel na escola. Pode ser pica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Mari,

      Para o nível de desenvolvimento esperado para uma criança de 4 anos, levar objetos à boca para comê-los, lambê-los ou mordê-los merece esclarecimentos com o pediatra e o psiquiatra da infância e da adolescência.

      Pica é um transtorno alimentar restrito ao hábito de ingestão de substância não nutritivas de forma frequente. Então, as outras formas de manipulação oral de objetos merece avaliação especializada em saúde mental.

      Excluir
  41. Muito obrigado pelas sugestões .Minha filha tem 4 anos e coloca tudo na boca.Já conversei e até briguei ,mas não adiantou, vou acatar sua sugestão de levá-la á um especialista

    ResponderExcluir
  42. Tenho comido fósforos queimados, menos a cabeça . Faz mal? A vontades quase incontrolável!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vera.

      Em setembro de 2016, publiquei, neste blog, matéria atualizada sobre indivíduos que ingerem substâncias não nutritivas, não alimentares ("Transtorno de Pica"). Sugiro que você a leia.

      Em relação à ingestão de fósforos queimados, mesmo com a retirada da cabeça, há o risco de ingestão de clorato de potássio e de parafina (componentes da cabeça de um fósforo) não visíveis em parte do fósforo. Se houver aumento do potássio sanguíneo (hipercalemia), poderá haver problemas sérios de saúde.

      Também, a queima da madeira do fósforo libera, dentre outras substâncias, o benzopireno. Esse pode reagir com o DNA humano, modificando a reprodução das células e desencadear, por exemplo, câncer de boca.

      Excluir
  43. Olá tenho 18 anos e como creme de cabelo pode ser pica ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Seu hábito pode se enquadrar no Transtorno de Pica, sim. Há uma publicação mais atualizada sobre o tema, neste blog (21/10/2016 - "Transtorno de Pica - publicação em revista"), com informações detalhadas sobre o tema.

      De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), a definição de Transtorno de Pica inclui:
      -Ingestão persistente de substâncias não nutritivas, não alimentares, durante um período mínimo de um mês. -Ingestão de substâncias não nutritivas, não alimentares, é inapropriada ao estágio de desenvolvimento do indivíduo.
      -O comportamento alimentar não faz parte de uma prática culturalmente aceita; se o comportamento alimentar ocorrer no contexto de outro transtorno mental (por exemplo, Deficiência Intelectual [Transtorno do Desenvolvimento Intelectual], Transtorno do Espectro Autista, Esquizofrenia) ou condição médica (incluindo gestação), é suficientemente grave a ponto de necessitar de atenção clínica adicional.

      Para esclarecimentos adicionais, busque atendimento médico especializado (psiquiatria).

      Excluir
  44. Tenho 46 anos estou com mania de comer papel palito de dentes e palitos de fósforo ,eu até tento parar mas não consigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite.

      No dia 21/10/2016, publiquei, neste blog, sobre "Transtorno de Pica - publicação em revista". Nela, há texto atualizado sobre indivíduos que ingerem substâncias não nutritivas, não alimentares. Sugiro que você a leia.

      Para esclarecimentos adicionais, busque atendimento médico especializado (psiquiatria).

      Excluir
  45. Ola
    Estou preocupada com a situação da minha sobrinha ela tem 6 anos e a professora chamou a minha irmã a escola.
    Pois ela come as borrachas todas lápis normais e de cores.
    Rói bonecos e até panos de tanto morder faz buracos leva o cabelo a boca e até roupa.
    Tudo o que apanha que possa levar a boca ou para comer ou morder.
    Ja a apanhei a comer maquiagem.
    Mesma a minha irmã a metendo de castigo ela tenta encontrar algo para morder ou fazer pois também não consegue estar quieta. No outro dia estava de castigo na escola como não podia morder e comer o lápis usou o lápis para furar 28 pacotes de leite pequenos a minha irmã ja não sabe o que fazes.
    Sera que é pica e mais algo?
    Pois não é normal para uma criança de 6 anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Sua sobrinha deverá ser avaliada por um médico psiquiatra da infância e da adolescência, visto que, aos 6 anos, a ingestão de materiais não-nutritivos como os descritos em seu texto podem fazer parte de um transtorno alimentar denominado "Transtorno de Pica".

      Favor ler a publicação mais atualizada sobre o tema, neste blog ("Transtorno de Pica - publicação em revista"), para que você tenha mais informações sobre o tema.

      Além de possível Transtorno de Pica, poderá haver outro(s) diagnóstico(s), mas, será necessário que a garota seja avaliada, presencialmente, pelo especialista supracitado.

      Excluir
  46. Olá Boa tarde meu bb tem 1 aninho e desde os 10 meses come os cabelos que encontra pela casa. Gostaria de saber o que poderia ser ? O que posso fazer para ele parar ? Eu passo aspirador na casa todo dia mas se ele enco tra tá uma já é o suficiente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Patrícia.

      Busque atendimento pediátrico para seu filho e solicite encaminhamento ao médico especializado em comportamentos e emoções na infância e na adolescência, ou seja, psiquiatra da infância e da adolescência. Esse profissional poderá diagnosticar (ou não) condição denominada "Tricotilomania".

      As condutas a serem tomadas dependerão da avaliação com o profissional sugerido acima, visto que, comumente, crianças podem apresentar questões emocionais e comportamentais que colaboram para o hábito de ingerir cabelos.

      Excluir
  47. Olá !
    Tenho um filho de 10 anos que come borracha, lápis, papel e rói as unhas.
    Temos uma vida tranquila, sem nenhum tipo de complicação !
    Não sei mais o que fazer !!
    Moro no RJ, teria algum profissional para indicar ?
    Já fui a psicólogos, mas todos dizem que ele não tem problema !!
    Aguardo retorno !
    Grata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Seu filho deverá ser avaliado por um psiquiatra da infância e da adolescência o quanto antes. Não posso indicar profissional através do blog, mas, para seu e-mail de contato, poderei fazê-lo.

      Há a possibilidade do seu filho apresentar um transtorno alimentar denominado "Transtorno de Pica". No meu blog, favor ler a publicação mais atualizada sobre o tema ("Transtorno de Pica - publicação em revista"). Link: http://www.psiquiatriaepediatria.com/2016/10/transtorno-de-pica-publicacao-em-revista.html .

      Excluir
  48. Boa tarde Dr Bruno!
    Parabéns pelo Blog!
    Sou de Santana de Parnaiba e me chamo Vilma.
    Descobri ha uns 3 meses aproximadamente q meu filho de 15 anos come papel higiênico!😣
    Eu ô amamentei até os 2 anos, ele sempre foi difícil p comer! Hj ele come apenas arroz, feijão preto e carioca, batata frita do MC, pipoca, biscoito Trakinas e Passatempo de chocolate, Danoninho de morango, Yakult, Fandangos, suco de limão e maracujá, bala Ste Bello sabor morango e Traident sabor morango. N come nunhum tipo de fruta, legumes e verduras.
    Por gentileza doutor Bruno, vc teria um profissional p me indicar p o tratamento do Pedro?
    Super obrigada e me desculpa por falar tanto!😕
    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Vilma.

      A ingestão de substâncias sem valor nutritivo, como papel higiênico, é mais comum do que as pessoas imaginam. Porém, devido à vergonha em expor essa dificuldade, muitos casos nunca são descobertos.

      Eu sugeriria que seu filho fosse avaliado por um psiquiatra da infância e da adolescência. Caso ele apresente transtorno alimentar denominado "Transtorno de Pica", poderá haver algum outro diagnóstico emocional / comportamental associado.

      Em Santana do Parnaíba, busque o Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPSi) local ou algum psiquiatra da infância e da adolescência da rede privada. Não conheço profissionais da sua cidade.

      Excluir
  49. Bom dia Dr Bruno!
    Como faço p marcar uma consulra p meu filho de 15 anos?
    Ele come papel higiênico!😣
    Obrigada!
    Abs
    Vilma Carvalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Vilma,

      Complementando a resposta que eu havia dado para outra postagem sua, para informações acerca do consultório, favor acessar o link WWW.PSIQUIATRAEPEDIATRA.COM .

      Excluir
  50. Olá minha filha tem 20 anos e come casca de parede já destruiu casa inteira não pode ver um descacadinho na parede.eu já não sei oque fazer .quem devo procurar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Suzana.

      Sua filha deverá ser avaliada por um médico psiquiatra para investigar transtorno alimentar denominado "Transtorno de Pica".

      No meu blog, favor ler a publicação mais atualizada sobre o tema citado acima através do link: http://www.psiquiatriaepediatria.com/2016/10/transtorno-de-pica-publicacao-em-revista.html .

      Excluir

      Excluir
    2. meu filho desmacha os remedios e embrulha em pedacos de plastico para tomar com agua se tiver incenco ele pega para moer e comer com remedio ele se engasga mas insiste em continuar a usar os remedios com porcarias moidas tipo madeira varetas d insenco virou um transtorno o.compulsivo nao sei mais o que fazer ele é autista.. super dotado com varias manias mas ele pega plasticos de sacolas ou outros tipos de pasticos moles para fazer trouxinhas com os remedios que ele nao quer tomar do modo normal com agua

      Excluir
    3. Boa noite.

      Seu filho, pelo fato de apresentar Transtorno do Espectro Autista, apresenta maior probabilidade de apresentar um transtorno alimentar denominado Transtorno de Pica.

      Sugiro que você leia material mais recente sobre o tema; o link está abaixo:

      http://www.psiquiatriaepediatria.com/2016/10/transtorno-de-pica-publicacao-em-revista.html

      Converse com o médico psiquiatra responsável pelo acompanhamento do seu garoto; considerando que ele apresenta inteligência preservada, apenas uma avaliação mais aprofundada explicará as motivações que fazem com que ele ingira medicamentos de forma tão incomum.

      Excluir
  51. Eu como borracha de forma desesperada. Nao sei o que fazer fico com água na boca se de pensar no sabor da borracha ... gosto da Mercury Vermelha e azul mas na ausência como qualquer uma porém não mata minha vontade só me satisfaz Mercur azul e vermelha . Tive convulsão será que pode ter alguma correlação com o consumo da borracha sendo que meus exames nao acusou nada que pode ser á causa da convulsão? . Ontem mesmo comer á parte vermelha e terminei hj pela azul, a vermelha é mais gostosa minha boca está cheia de água e minha cabeça está doendo muito penso que pode ter a ver com o consumo da borracha. Eu evito passar por lugares que vende da borracha que gosto pq não tenho controle. Tenho 22 anos como borracha desde pequena mas agora aumentei as doses e perdi o controle. Me ajudaaaa

    ResponderExcluir
  52. Olá novamente, Ane.

    Respondi postagem sua, em outra parte dos comentários de leitores do blog; abaixo, repetirei minhas colocações:

    Favor ler postagem sobre pessoas que ingerem materiais não nutritivos (Transtorno de Pica); o link é o seguinte:

    http://www.psiquiatriaepediatria.com/2016/10/transtorno-de-pica-publicacao-em-revista.html

    Busque atendimento com médico psiquiatra. Boa sorte!

    ResponderExcluir